Mas afinal, qual país fazer meu intercâmbio? Respostas do Quiz 1, Parte I

Bom, agora que já deixamos de lado a opinião dos outros e focamos única e exclusivamente na sua opinião, incluindo seus motivos e propósitos pessoais, além das próprias finanças (afinal, quem vai pagar é você ou sua família, e não os outros!), vamos explicar melhor as cinco primeiras perguntas feitas no Quiz 1 do post anterior! *Se você não se lembrar quais eram as perguntas, no final do post eu relembro todas elas!

1. É importante e, crucial, entender aqui que seja 1 mês ou 1 ano de intercâmbio, você vai no mínimo investir um bom valor. Por quê não investir em algo / um lugar que você sempre sonhou? O fato aqui é simples: a probabilidade de sua adaptação ser mais tranquila e menos traumática aumenta quando você escolhe morar em um país e/ou cidade que sempre fez parte de seu imaginário! É claro que podem haver decepções, mas com certeza será algo muito mais passageiro do que se, por ventura, você morar em um lugar ‘só porque seu amigo falou’ ou ‘meu amigo mora lá’.

Mundo-Gringo---Backbacking-Australia-7

Recado para papais e mamães: Quem vai viajar é seu filho/a, e não vocês (sorry!). Deixe-os escolher um lugar que os façam sentir bem, e não o lugar mais fácil para vocês o acompanharem. Ajudar na escolha e apoia-los é essencial. Força-los a algo pode ser traumático e dramático para vocês e, para o estudante.

2. Com a mesma idéia que a pergunta 1, mas reforçando suas crenças e vontades, aqui tem que ficar bem claro que a pergunta é para um intercâmbio e não uma viagem a lazer. Obviamente a primeira resposta que pode passar pela cabeça são as Ilhas Bora Bora, no Tahiti, mas creio que lá não é o lugar ideal para se aperfeiçoar no inglês, né?

Mundo Gringo Thai1

3. Bom, este tópico está estritamente atrelado à pergunta 10, sobre fatores financeiros. Mas, de qualquer forma, se você já sabe o que deseja estudar, isto facilita – e muito – na hora do planejamento. Se está em údúvida, então vamos lá à algumas das opções de estudos no exterior:

– Você pode estudar línguas de modo geral, seja inglês, francês, espanhol, alemão, mandarim.

– Você pode começar a língua do zero, ou já ter uma noção e continuar os estudos para aperfeiçoamento – melhor dos mundos

– Você pode estudar os tão famosos Business English courses, onde você irá aprender a como fazer apresentações em inglês, negociar, utilizar o power point da melhor forma, apresentar um produto ao cliente, redigir um CV ou carta de apresentação, enfim, tudo o que envolve o mundo dos negócios. Porém vale o alerta: não é um MBA! Então não vá esperando alto nível de inglês se você não sabe nem o básico. Ou deixe de pensar que este curso irá lhe trazer uma grande fama no CV, que isto só acontece depois que você brilha, por algum motivo, em sua carreira / seu cargo. Até lá, é um curso no exterior como outro qualquer. Pode soar bonito, mas

quem já fez intercâmbio sabe que não são os cursos mais fortes em línguas – mesmo porquê, são propósitos diferentes.

– Você pode fazer cursos preparatórios ou já prestar IELTS, TOELF, Cambridge Courses (FCI etc etc).

Mundo Gringo Uni

– Você pode fazer uma faculdade, seja graduação completa, 1 ou 2 Semestres ‘Abroad’ (estudar em alguma universidade que reconheça a sua Uni atual), pós graduação, Master por pesquisas, PHD, e também os mais acessíveis e de alta qualidade, cursos técnicos profissionalizantes.

Ou seja, o céu é o limite para o intercambista, então tente ser o mais estratégico possível na hora de escolher seus estudos!

4. Voltando ao tópico 10, quanto $ você pode investir neste projeto? Este fator pode ser determinante para decidir se você viajará por 1 mês, 3 meses ou 1 ano. Definido isso, então faça as malas! (rs., calma!).É bom lembrar também que, em alguns países, você pode trabalhar legalmente e ter um dinheirinho extra para se ‘bancar’ no país, ou seja, tenha, no mínimo, o valor do curso + hospedagem para uns 2 meses + comida para 2 meses + passagem/visto/vôos. Caso fique mais tempo, se puder trabalhar legalmente, você conseguirá pagar suas contas locais e se preocupar em estudar (pois o curso já está pago desde sua saída do Brasil) e não com o ‘que vai comer’.  Novamente, tudo depende para qual país você vai! Quem tem dupla nacionalidade, aproveite seu passaporte e vá para um país que você possa trabalhar! Aproveite a oportunidade porque não são todos que tem esta regalia!

Uni

5. Aqui é o ponto mais complicado para os indecisos de plantão (eu!). Mas vamos começar pelo básico: você prefere morar em um lugar do tamanho de São Paulo ou Campinas? Rio de Janeiro ou Paraty? Fortaleza ou Santa Catarina? Lembrando que o transporte público em países desenvolvidos é 100%  diferente do que no Brasil. Seja ônibus, metrô ou trem, tudo tem seu horário! E a maioria deles passa no horário e não vai te deixar na mão. Ou seja, não tenha medo de cidade grande, que até a ciclovia funciona! (juro!). E se escolher cidade pequena, aproveite a oportunidade!

Outro ponto a se considerar: praia, montanha, campo? Se seu sonho é fazer voluntariado no Nepal, porquê está indo para Londres? Quer morar na Austrália mas não faz questão de praias? Lembre-se que o país é gigante e também tem cidades normais, pequenas, médias e de grande porte longes do mar! Sonha em morar onde neva? EUA, Irlanda ou Alemanha podem ser excelentes opções! Lembre-se que nos EUA você pode ter tanto a vida agitada de praia (lado Californiano) quanto a vida mais tranquila na parte mais Sul do país, ou vida agitada em NY, ou seja, tente ser o mais específico possível, já que você está numa fase em que em tese, tem diversas opções a escolher.

Melbourne

Quer um lugar em que pode-se trabalhar legalmente? Aí as opções se afunilam! Se você tem dupla nacionalidade, perfeito, pois você tem mais opções! Caso contrário, pesquise quais países te dão esta possibilidade. À princípio, me lembro de países como Canadá, Inglaterra, Irlanda, Austrália e alguns outros da Europa. Se isto é ponto crucial na sua viagem, não dê um de louco/a e vá para os EUA. Trabalhar ilegalmente não pode e nem deve estar em seus planos.

E o último ponto a considerar: você tem condições de se manter financeiramente em uma cidade maior, onde aluguéis geralmente são mais caros, ou uma cidade pequena? Muitas vezes, o que você pagaria de acomodação por 1 mês em Sydney, você paga 2 meses em outro lugar! Pesquise bem antes de assumir um compromisso desses, para não cair em uma cilada porque o ‘meu amigo me falou’, ‘eu ouví dizer que’. Ter os pés no chão neste momento irão te ajudar a tomar a melhor decisão para que você não entre em uma cilada! Isto não significa que você tem que ir para o mais barato! Lembre-se, tudo é uma questão de custo x benefício x sonho! Morar em Malta porque a vida parece ser mais barata,  ou na Groenlândia para não encontrar brasileiros, não significa que será mais feliz. Qual é o preço do seu sonho?

Mundo-Gringo-Valle-Nevado-14

No próximo post, mais infos para te ajudar a definir para qual país viajar! (ou Clique Aqui).

Papel e caneta em mãos, e boa pesquisa!

Seguem as perguntas respondidas neste post!

Pergunta 1: Desde pequeno, qual país (ou quais países) você sempre sonhou em viajar? E por quê?

Pergunta 2. Se o Mundo Gringo te desse uma passagem para qualquer lugar do mundo, para onde iria?

Pergunta 3: O quê você quer estudar? Inglês, Business English, 1 semestre de Uni, Pós Graduação, Espanhol, Francês, Alemão?

Pergunta 4: De acordo com seus planos de estudos (pergunta 3), quanto tempo você sonharia em estudar fora? 3 meses, 1 ano?

Pergunta 5: Se você já sabe para qual país vai, mas está em dúvida entre as cidades, prefere morar na praia, montanha ou campo? Cidade grande ou pequena? Com transporte público de fácil acesso ou não sabe viver sem carro? Quer andar de ônibus e metrô ou bike?

 

0 Comentários

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *